Web Estratégica


Consultoria de Marketing

As #hashtags estão cada vez mais populares: Facebook, Twitter e Instagram

Uma nova pesquisa da ferramenta SocialBakers concluiu que postar usando hashtags no Facebook é cada vez mais comum. O Twitter continua usando hashtags da maneira que sempre fez e o Instagram é a única rede em que uma porcentagem significativa de posts usam mais de duas hashtags.

As hashtags são sucesso entre muitos usuários e facilitam que conteúdos sejam expostos, opiniões, campanhas, etc. Marcas podem utilizar hashtags que já estão na rede, podem criar novas e estimular campanhas de posicionamento em que estejam trabalhando, ou simplesmente tentar pegar carona com as hashtags do momento para se envolver com usuários.

 O estudo da Social Bakers examinou 12.509 perfis no Facebook e 865 perfis no Twitter entre fevereiro de 2013 e fevereiro de 2014. A observação concluiu que as marcas aumentaram exponencialmente o uso de hashtags no Facebook, enquanto no Twitter, tudo permaneceu mais ou menos igual ao ano passado, com marcas usando hashtags da mesma forma. 

1

Segundo a análise do estudo, várias  conclusões são possíveis. A primeira: no Twitter, muitas marcas já tinham experiência com o uso de hashtags, por isso nada mudou drasticamente, enquanto o serviço permanece também o mesmo. No Facebook, as marcas descobriram como usar melhor esse recurso ao longo do tempo.

Na rede social de Mark Zuckerberg houve um aumento de 525% na participação dos posts incluindo conteúdo com hashtags. A rede integrou hashtags pouco tempo antes da amostragem de dados, dessa forma, mostra como o conceito foi abraçado por marcas. Claro que os resultados são relativos, pois trata-se de uma mostra. Portanto, o número de hashtags usadas no Twitter ainda é maior do que posts assim no Facebook. 

2

 Esses dados significam que um conceito desenvolvido pelo Twiiter e para o Twitter nessa plataforma de microblog foi importado com sucesso por uma plataforma rival, e ainda, é interessante notar que as hashtags mantem-se constantes, em número, nos posts das duas redes, o que sugere uma análise do comportamento dos usuários a partir das hashtags e não com base na rede social.

Já o Instagram é a rede com um número diversificado de hashtags por post. 

3

Uma pequena maioria dos posts com hashtag usa apenas uma ou duas #, contrastando com os padrões de Twitter e Facebook. Essa diferença também acontece pelo formato de postagem de cada rede. 

4

5

 No Twitter, só há 140 caracteres para postar e ter mais de duas hashtags significa limitar ainda mais o texto, interações e links.

O Facebook já não possui esse limite rígido, mesmo assim, o número entre os dois é parecido.

 Número de interações por hashtag

Apesar de todas essas informações, não diz nada o quanto realmente esse recurso tem sido eficaz no Facebook. Para tentar responder a essa pergunta, o SocialBakers recolheu dados sobre o número de interações em todos os posts dessas marcas em fevereiro de 2014.

Os dados mostraram que no Instagram, posts com 1-2 hashtags recebeu a maioria das interações e mensagens sem hashtags vieram logo em seguida.

No Twitter, posts com 3 -4 hashtags receberam mais interações e postagens, seguido por posts com 1-2 e depois por nenhuma.

O relatório porém adverte que quando posts sem hashtags parecem ter um alcance maior, não significa, necessariamente, que o uso de hashtags diminui o engajamento, veja algumas razões para isso:

Qualidade dos posts: alguns posts são simplesmente melhor do que outros e por isso geram mais engajamento.

Tempo: um post cheio de hashtags lançado no pior momento provavelmente será pior do que um post sem hasthag lançado em hora melhor.

Tipo de post: imagem e vídeo tendem a ter mais interações do que só texto, com ou sem hashtags.

Histórico: se existe uma ansiedade por elevar rapidamente a taxa de engajamento, pode desencadear um frenesi de hashtags desnecessárias.

Essa análise mostra que as hashtags não estão perdendo popularidade nas redes, mas é preciso saber usar. De acordo com a rede, de acordo com o post, de acordo com o público.

Fonte: SocialBakers