Web Estratégica


Consultoria de Marketing

As enormes possibilidades do Remarketing que ninguém está usando

De acordo com o Google Adwords, 97% dos visitantes de um e-commerce não faz uma compra na primeira visita. Assim, uma ferramenta que possa trazer de volta para o seu site essas pessoas ou mostrar novas ofertas é mais do que útil: deve estar na sua estratégia!

Mas o remarketing é muito mais do que isso.

O princípio básico é direcionar a comunicação com base no histórico de visitas do usuário (através de cookies). Com essa informação, você faz o que quiser.

Isso quer dizer que você configura listas com base no comportamento dos usuários – interesses por um produto do site, ou vídeos, ou posts, etc – e usa os players disponíveis para mostrar-lhes novas ofertas, ou as mesmas, ou novos conteúdos.

A verdade é que a ideia recorrente sobre remarketing é muito bem definida por este tweet do @taviao

Você entra num site, pesquisa por churrasqueira. Fica recebendo por dias anúncio de churrasqueira em tudo que é site que você entra. Teve até sátira com filme de terror.

Mas remarketing não é só frequência.

Dá para oferecer, para quem buscou churrasqueira, oferta de espeto, mas só para quem curte a FanPage de um time de futebol que joga no sábado, por exemplo. E fazer um anúncio tipo “Sábado vai ter jogaço. Vai ter churrasco com a galera?”

Fica bem menos intrusivo do que aquele anúncio de tênis que você viu mil vezes e quiçá, viu num preço mais barato até do que você comprou e se irritou.

Dá para contar uma história com remarketing. Montar uma sequência de vídeos e fazer o vídeo 2 aparecer para quem viu o 1. Dá para falar com quem já comprou, com quem não comprou ainda, em sites variados. Dá para fazer só para dispositivos móveis.

São muitas possibilidades, é preciso pensar fora da caixa.

É possível escolher para qual visitante do site (ou canal, etc) aplicar o remarketing, com qual objetivo, por quanto tempo, combinar as ações. Não é só aparecer, aparecer. Dá para fazer branding, dá pra estimular conversões. Tudo depende do objetivo do cliente.

Remarketing mal feito fica chato, remarketing bem aproveitado converte.

Falar com quem já não comprou e bombardear a mesma mensagem várias vezes não vai dar resultado efetivo. É preciso ainda colocar um limite de impressões diárias para uma pessoa. Esse é o novo marketing, se a pessoa não quer conversar com você, só vai se irritar. Tente depois tente uma nova mensagem, mais interessante para ela. Esse é o novo jogo. E as estratégias de mídia devem acompanhar da melhor forma possível.

Além disso, colocar um número muito grande de impressões pode diminuir muito o CTR, desperdiçando dinheiro com barulho e não negócios.

É preciso diferenciar os públicos, segmentar a campanha de acordo com o comportamento e necessidades diferentes do público, para um tipo de conversão diferente também. Assim é possível atingir o usuário nos diferentes estágios do funil de vendas, na fase de pesquisa, consideração, compra, fidelização.

Pense fora da caixa.