Web Estratégica


Consultoria de Marketing

Um milhão de fãs. Para quê?

O mundo das mídias sociais está cheio de dados desconectados, métricas de vaidade, números ilusórios capazes de enrolar ou confundir qualquer pessoa que não trabalha diretamente com o assunto.

Lembra quando toda empresa queria ter um milhão de fãs no Facebook?

Um milhão de fãs é um número bonito pra contar dentro da empresa. Bonito no relatório com aquele gráfico cumulativo que mostra uma seta de crescimento. Mas é bom para empresa?

Depende dos objetivos da empresa na rede social, e já que estamos falando de Facebook, do que esse crescimento na base de fãs é capaz de atrair.

É bom ter um número de respeito, só para começar, quando a marca não é muito conhecida. Mas a comparação da quantidade de fãs também deve ser justa, condizente com a realidade. Por exemplo, 10 mil fãs é pouco? Depende. A concorrência tem quanto? Qual o tempo de investimento? Qual o objetivo?

Então a regra é olhar para métricas como referências, mas sempre considerando a realidade de cada empresa.

Para começar a definir o que é importante, é preciso partir dos objetivos da empresa. Isso mesmo antes de escolher qual a rede social para investir.

Podem ser redes de nicho, pode ser que a empresa tenha produtos visuais e o Pinterest e Instagram tenham tudo a ver, pode ser que o produto seja de difícil implementação e seria excelente para relacionamento e fidelização criar tutoriais no YouTube. É preciso entender o que a empresa precisa, o que cada rede pode entregar, para então decidir os próximos passos.

O objetivo é tornar a marca mais conhecida (branding)? É venda direta B2C a partir das mídias sociais? É geração de leads para o processo de vendas? É descobrir o que está sendo falado nas redes para melhorar produtos e processos? Essa é a primeira pergunta.

Depois é preciso pensar no que é possível fazer em cada rede social. Por exemplo, às vezes o cliente quer aumentar muito a base de fãs do Facebook, mas não quer investir em mídia. Não compensa, porque o alcance orgânico do Facebook caiu muito e para crescer bastante tem que investir. Mas de acordo com o produto, do público, compensa, por exemplo, investir também em um conteúdo super legal para o público em outra rede social.

Definido isso, define-se as métricas.

 

Cadastre-se para receber novos artigos


Quais as melhores métricas de mídias sociais para avaliar o seu negócio?

Por exemplo, se o objetivo é ter views naqueles tutoriais de produto (e depois levar cliques para o site) a base de fãs não faz muita diferença, não é mesmo?

Se o objetivo é trazer pessoas para o site, a melhor métrica não é o número de curtidas. Se o objetivo é fazer as pessoas interagirem e se engajarem com a marca, o número de impressões só importa em comparativo.

É possível medir visitas, alcance orgânico, alcance pago, interações, taxa de engajamento por número de fãs, por posts, sentimento em relação à marca, etc.

Mais importante é saber o que será feito dos dados. Em que sentido tudo isso que foi medido pode ajudar a empresa?

É comum esquecer que se está olhando para dados que são respostas de comportamento de PESSOAS. E entender o público é a chave para qualquer negócio.

Dá para pensar no que os clientes estão dizendo sobre os produtos e serviços – e melhorar – identificar demandas novas, tendências, interesses, criar e manter relacionamento com as pessoas em busca de fidelizar, gerar valor para a marca, muitas possibilidades, palpáveis, a partir desses dados.

Como tudo que é bom dá trabalho, não existe fórmula certa e é preciso identificar através de um estudo e diagnóstico da marca qual é o melhor caminho em cada necessidade.