Web Estratégica


Consultoria de Marketing

Google pode estimular criptografia dos sites

O Google parece querer tomar ações para segurança dos usuários, depois de tantas especulações sobre o monitoramento de agências americanas e a venda de dados de usuários para publicidade.

O buscador está considerando impulsionar seus resultados na busca para sites criptografados. O executivo Matt Cutts, bastante conhecido no universo SEO como encarregado na luta anti-spam foi visto comentando em conversas privadas sobre o interesse da empresa em fazer essa mudança.

Um porta-voz do Google, no entanto, declarou que ainda não há nada para ser anunciado.

A criptografia em sites da internet acrescenta uma barreira entre usuários da web e as pessoas/agências que queiram espionar ou roubar informações.

O Dropbox, por exemplo, só abre com o uso do HTTPS:

https://www.dropbox.com/

As URLS sem o HTTPS não são criptografadas, a maioria no mundo digital:

http://www.webestrategica.com.br

Com todo seu poder diante do que é buscado e selecionado pelas pessoas na internet, a empresa usa sua influência para estimular práticas nos profissionais da web (desenvolvedores, analistas de SEO, produtores de conteúdo, etc.). Os sites que não seguem suas regras são penalizados caindo páginas abaixo nos resultados.

E como se diz em grupos de SEO, qual é o melhor lugar para esconder um cadáver? Na segunda página do Google, já que os usuários não costumam ir muito além da primeira página em suas buscas.

O Google possui mais de 200 sinais que o ajudam a determinar o que vai para o ranking de busca, a maioria não discutidos publicamente. Se o Google adicionar a criptografia dos sites nessa lista, com toda certeza muitos sites adotariam a nova política.

O diretor de tecnologia da Lookout, uma empresa de telefonia móvel, Kevin Mahaffey, acha que seria “maravilhoso”. Para ele, a criptografia é capaz de garantir que os dados de um usuário não podem ser vistos, não sendo possível rastrear seus caminhos pela internet.

Eduard Snowden, ex-agente que expôs a espionagem de dados pelo governo americano, é um entusiasta da criptografia e declarou, através de videoconferência em no evento SXSW que era impossível encontrá-lo por causa desse sistema.

Os especialistas em geral dizem que mesmo com a possibilidade de falhas – caso da linguagem OpenSSL que descobriu-se recentemente ter uma falha – é mais seguro criptografar os dados para mantê-los seguros.

Danny Sullivan, editor do blog Search Engine Land e anfitrião da conferência onde Matt Cutts manifestou apoio à criptografia, acredita que o Google não pode favorecer sites com essa técnica em seus resultados. Para ele, seria um grande passo, mas é possível que privilegiasse isso em detrimento de bons resultados de conteúdo.

Em suas próprias estratégias o Google tem usado criptografia, em alguns de seus serviços. A empresa fez esforços nesse sentido no ano passado, criptografando o tráfego entre os seus centros de dados depois das revelações de que a Agência Nacional de Segurança (NSA) explorou suas vulnerabilidades.

Mais sites devem criptografar suas páginas. Ou parte delas, o que pode deixar usuários vulneráveis a ataques, já que hackers podem tirar proveito da captura de cookies, por exemplo. Isso pode permitir que hackers controlem para onde usuários estão indo para entrar no site como outra pessoa.

Para destacar essas vulnerabilidades um desenvolvedor de software, Eric Butler, projetou uma extensão para o navegador Firefox que provava essa vulnerabilidade, permitindo ao usuário de sua extensão representar essa pessoa com grande facilidade. Segundo Butler, “todos os sites deveriam usar criptografia, em todos os lugares”. 

Informações do Wall Street Journal