Web Estratégica


Consultoria de Marketing

Sites de desconto crescem no Brasil, acompanhando tendências de consumo digital

Aos poucos, o cupom de desconto cresce no mercado online do Brasil, acompanhando as novas tendências de consumo. Apesar de ser considerado quase que uma “paixão nacional” pelos americanos, onde esse tipo de negócio já existe desde o século XVIII, ainda é pouco conhecido por aqui.

Em pesquisa realizada recentemente pelo IBISWorld (considerando a receita anual desde 2008 e o desempenho esperado até 2018), foi identificado que este mercado está entre os de maior crescimento nos EUA. No Brasil, a busca pelos descontos cresce mais de 100% ao ano.

O Brasil já conta com bons sites de cupom de desconto e outros nem tanto (que oferece poucas vantagens). Por ser um modelo de negócio relativamente simples, um site de cupom de desconto pode ser criado até mesmo em plataformas como o WordPress. A perspectiva é a de que muitos outros venham a ingressar nesse mercado no próximo ano, aumentando a concorrência e melhorando o serviço oferecido.

Outro site analisado já ultrapassou a marca de mil lojas de compras online cadastradas “como parceira” (inclusive os maiores do mercado) e disse já ter mais de 100 mil usuários cadastrados. Além dos cupons, o site conta com sistema de Cashback, que devolve até 35% do valor total da compra ao consumidor.

O que é Cashback?

Quase 50 milhões de brasileiros fizeram compras online em 2013 (segundo a empresa e-bit), mas apenas uma pequena parte desse mercado usa o sistema para receber seu dinheiro de volta. Nele, os sites que usam Cashback redirecionam o usuário à loja online de preferência para realizar a compra. Parte da comissão dada pela indicação volta ao consumidor, fechando o ciclo.

Apesar da fórmula parecer “revolucionária” e começar a crescer de fato apenas no ano passado, o sistema de Cashback chegou ao Brasil em 2007 pelo site Compra3. Na época porém, o mercado de compras online não tinha a força que possui hoje no Brasil e o e-commerce acabou fechando. Quem trouxe o sistema para a internet foi o site Ebates (fundado em 1998).

“A gente está confiando nesse mercado e estamos crescendo nele. É bom ver um modelo de fora, já concretizado, e começar a fazer isso no Brasil e ver que está dando certo. Funciona como um guia para saber onde pisar. O feedback dos consumidores também é muito legal. Mais de 40% dos nossos clientes já fizerem mais de uma compra, o que mostra que quem usa uma vez gosta e volta a comprar. É um número espetacular e isso num período curto de tempo”

Israel Salmen, sócio-fundador do Meliuz

História dos cupons de desconto

Em 1888, no Estado Americano da Georgia, um senhor associou o uso de cupons como estratégia de marketing para promover uma nova bebida, feita de extrato de coca de folhas do Perú, açúcar, xarope e noz de cola. Para quem ainda não reconheceu os protagonistas dessa história, trata-se do magnata Asa Candler, que comprou a fórmula da Coca-Cola de seu criador e iniciou o império que conhecemos hoje.

Candler desenvolveu uma campanha que distribuía, gratuitamente, um cupom com os dizeres “Este cartão dá direito a um copo de Coca-Cola”, incentivando as pessoas a experimentarem a bebida. O vale foi distribuído através do correio, por meio de correspondências e revista, e em mãos, feito por empregados e vendedores da empresa.

Cupom que dava direito a uma Coca-Cola

Essa estratégia de marketing nunca havia sido usada e foi um imenso sucesso. Em 1892, Asa Candler aumentou o orçamento para publicidade (considerado extremamente agressivo para a época). A marca decolou de vez e, em 1895, a Coca-Cola já era vendida em todos o país. Em 1913, já haviam sido trocados mais de 8,5 milhões de cupons grátis para o consumo da bebida, trazendo reconhecimento da qualidade do produto e elevando os lucros da Coca-Cola ao céu.